• 07 Jan 2019

Trégua em guerra comercial faz dólar cair

Na mínima, moeda chegou a R$ 3,691

Por: oglobo

Fonte: fecomercio mg

A retomada das conversas entre Estados Unidos e China trouxe um alívio ao mercado de câmbio nesta segunda-feira. O dólar comercial operava cotado a R$ 3,715, uma desvalorização de 0,16% ante o real.  Na mínima, chegou a R$ 3,691, menor nível desde o início de novembro.  

Uma delegação americano foi para a China retomar as conversas sobre as tarifas de transações entre os dois países, o que foi interpretado por investidores como uma possibilidade de fim da guerra comercial. O Dollar Index, índice da Bloomberg que mede o comportamento da divisa americana frente a uma cesta de dez moedas, recua 0,17%.

Há o temor de que a continuidade da guerra comercial entre as duas principais economias do mundo leve a uma desaceleração mais forte do crescimento global. No exterior, os investidores também seguem atentos aos próximos passos da política monetária americana.


Esse viés positivo refletiu na Ásia. Os principais índices acionários do continente fecharam com ganhos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,61%. Esta alta também foi motivada por medidas internas da China. o Banco Central do país asiático agiu para sustentar o crescimento da economia com um amplo corte na proporção de dinheiro que os bancos devem manter como reservas. No Japão, o índice Nikkei avançou 2,44%.


Esse cenário de menor aversão ao risco no exterior contribui para mitigar as incertezas domésticas. As divergências de infomrações sobre o texto da reforma Previdência e os desencontros sobre tributação causaram preocupação entre os investidores locais na semana passada.


Na Bolsa brasileira, a queda é causada pelo desempenho negativo das empresas de energia, com a expectativa em torno do futuro das estatais do setor. As preferenciais (PNs, sem direito a voto) da Eletrobras caem 3,71% e as ordinárias (ONs, com direito a voto) recuam 3,47%. No caso da Cemig, o tombo é de 4,26%.


A queda só não é maior porque outras ações, que possuem peso significativo na composição do índice, estão em alta. As preferenciais da Petrobras sobem 0,32% e as ordinárias, 1,64%.


Fonte: https://oglobo.globo.com/economia/tregua-em-guerra-comercial-faz-dolar-ceder-r-3715-23351785